Dia 207 – Parque Nacional Sierra de Las Quijadas (Argentina)

Dia 207 – 01 de maio de 2019 – Parque Nacional Sierra de Las Quijadas (Argentina)

Ontem, dormimos na rua em frente a um posto de abastecimento YPF. A cidade Monte Comán não tem 5.000 mil habitantes. E Paulo fez novos amigos.


Juliana, filha do Paulo, é nossa pesquisadora – roteirista – apoio e muitas outras coisas, apesar de estar longe, está sempre antenada aos nossos passos. Nas pesquisas dela, às vezes ela vem com: “mas pai, você não vai a tal lugar? É tão perto daí.”.
E o local de hoje foi um desses, o Parque Nacional Sierra de las Quijadas, indicado para se um patrimônio da humanidade, e apenas 342 km de distância de onde estávamos. Isso só de ida.


A estrada de hoje foi o que considero “deslocamento”. Cansativa e sem nenhum atrativo. Longas retas, nada para apreciar, e ventos laterais. Foram 243 km sem nem uma barraca de fruta ou outra coisa, e a primeira curva foi com 115,5 km. De tempos em tempos tinha uma caixa no alto do poste que era sinal de wi-fi porque não tem nada mesmo na estrada.


Finalmente, chegamos ao Parque Nacional Sierra de Las Quijadas. Localizado na província de San Luis, Argentina, foi criado em dezembro de 1991 com a intenção de conservar ambientes do Chaco árido e de preservar seus depósitos arqueológicos e paleontológicos. Está na lista de tentativas da UNESCO desde 2005.


Dentro dos limites do parque foram identificadas cinco formações geológicas de idade do Cretáceo Inferior.


A formação El Jume é a mais antiga, tendo sido formada por volta de 120 milhões de anos atrás.


El Toscal e La Cruz foram formadas a 110 milhões de anos e contribuem para a maior parte do relevo da área, formando penhascos e desfiladeiros com cores que variam do vermelho ao cinza e ao branco. Essas formações são muito diferentes.


A formação La Cruz contém uma camada de lava basáltica, que entrou em erupção a 109 milhões de anos.


San Roque é a formação mais recente, com formações geológicas de 25 milhões de anos.


Dentro do parque foram identificadas 146 espécies da flora e 270 espécies de animais vertebrados. O clima da região é semiárido e é caracterizado por variações bruscas de temperaturas, sazonais e diárias.


No parque há algumas trilhas que podemos fazer sozinhos e outras apenas com um guia. A Trilha Flora Autóctona é autoguiada e tem duração de 45 minutos. A Trilha Las Huellas del Passo, feita com guia, tem duas horas de duração (ida e volta).


A Trilha dos Guanacos é autoguiada, porém é necessário fazer uma inscrição prévia no Centro de Informações, e tem uma duração de 3h (ida e volta).


O entardecer foi lindo, valeu a pena ter chegado aqui à tarde.


Por sugestão do guarda, voltamos para dormir no portão do parque onde tem sinal de wi-fi.